Sindipetro | PESQUISA REVELA: TRABALHADOR NÃO APROVA RACIONAMENTO DE COMIDA
2875
post-template-default,single,single-post,postid-2875,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.3,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

PESQUISA REVELA: TRABALHADOR NÃO APROVA RACIONAMENTO DE COMIDA

Como já havia sido divulgado anteriormente, o Sindipetro-SJC encerrou nesta segunda-feira (11) a pesquisa sobre o racionamento de comida na Revap. O questionário, publicado no dia 30 de agosto, foi respondido por 104 trabalhadores.

O objetivo dessa pesquisa era ouvir a base e medir o grau de satisfação e/ou insatisfação dos trabalhadores com a alteração do contrato de alimentação.

E o resultado mostrou o que já prevíamos: a grande maioria não aprovou as mudanças implementadas pela empresa na alimentação dos trabalhadores.

Números
Do total de pessoas que responderam à pesquisa, 51% disseram que não aprovam as mudanças no contrato de alimentação. Além disso, para 50% dos entrevistados a qualidade da comida oferecida caiu (26,9%) ou caiu muito (23,1%). Em contrapartida, 35,6% das pessoas ouvidas disseram que a qualidade da comida permaneceu inalterada, após as mudanças.

Outro dado interessante apontado pela pesquisa é que 76,9% das pessoas que responderam ao questionário disseram não concordar com a versão da empresa de que a mudança no contrato foi feita com o objetivo de combater o desperdício.

E, por fim, tendo em conta o valor do ticket alimentação/refeição (de aproximadamente R$ 56) oferecido pela Petrobrás, que permite uma alimentação com uma qualidade muito superior e mais saudável, 56,1% afirmaram que gostariam de fazer essa opção, ao invés de se alimentar no restaurante da Revap.

“Essa pesquisa foi uma experiência muito interessante para que o Sindicato pudesse avaliar as opiniões da base. Pelas respostas obtidas, chegamos à conclusão que os trabalhadores estão preocupados com a qualidade da alimentação e com uma alimentação saudável no local de trabalho”, disse o vice-presidente do Sindicato, Rafael Prado.

Sem comentários

Postar um comentário